« VOLTAR

ANIVERSÁRIO DE SÃO PAULO | OFICINA DE CALÇADA

O Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, realiza no dia 24 de janeiro, domingo às 14h30, a “Oficina de calçada” com o arte-educador Marcos Gorgatti, que pesquisa a relação de aproximação entre arte e design. A programação celebra os 462 anos da cidade de São Paulo, comemorados no dia 25 de janeiro (2ª feira, quando o MCB estará fechado ao público).

Com inscrições gratuitas e vagas limitadas, a atividade propõe a construção de uma calçada a partir da identidade criada por Mirthes dos Santos Pinto para pisos da cidade de São Paulo (as famosas calçadas que interpõem imagens pretas e brancas do mapa do Estado).  Os participantes receberão módulos de calçada em EVA (Espuma Vinílica Acetinada) para criar seus próprios desenhos. 

O esboço escolhido pela maioria será desenvolvido coletivamente com ladrilhos reais e, ao final, o resultado será observado a partir de um ponto elevado, dando uma visão geral do que foi montado. “A proposta da oficina é incentivar cada participante a construir seu próprio padrão de calçada a partir do debate sobre qual imagem melhor representa São Paulo”, explica Marcos Gorgatti.

As inscrições podem ser feitas por e-mail (agendamento@mcb.org.br) ou telefone (3026-3913/3032-3727).

Sobre Marcos Gorgatti
Educador da equipe do MCB, Marcos Gorgatti desenvolve pesquisa focalizada nas relações entre arte e design (fotografia, instalações site-specific, escultura e serigrafia), atuando como educador, artista visual, plástico e fotógrafo. Representado pela galeria paulistana Emma Thomas, realizou exposições individuais no Centro Universitário Maria Antônia (SP); Palácio das Artes (BH); e coletivas como a “Nova Escultura Brasileira” (Caixa Cultural RJ) e “Risco #3 – Cor local, ausência e memória” (Sesc Belenzinho).

Sobre o Educativo MCB
O Educativo MCB propõe práticas que articulam o olhar, o fazer e o pensar. Queremos que os visitantes assumam o papel de investigadores, pesquisando os conteúdos que o museu oferece em uma perspectiva contemporânea. A ideia é criar desafios para que os participantes das atividades educativas levantem questões a partir de suas próprias experiências e descubram novos sentidos ao relacionar a visita ao MCB com suas vidas.

Visitas em grupos – em geral, instituições de ensino e sociais podem ser agendadas previamente. A duração é de aproximadamente uma hora e meia. Grupos com mais de 25 pessoas são divididos em duas turmas. Visitas espontâneas podem ser realizadas individualmente ou em grupo.